Accueil » Carnaval de Rio de Janeiro 2016 » Les sambas du Carnaval de Rio 2016

Les sambas du Carnaval de Rio 2016

samba carnaval de rio 2016

Voici tous les sambas d’enredos des écoles du groupe spécial. Ces sambas à thèmes (enredo), sont spécialement écrit pour le défilé de chaque école pour le carnaval de Rio.

 

Voici les sambas d’enredo pour le Carnaval de Rio 2016:

 


Estacio de Sá
União da Ilha
Beija Flor
Grande Rio
Mocidade
Unidos da Tijuca
Vila Isabel
Salgueiro
São Clemente
Portela
Imperatriz
Mangueira

Estacio de Sá


Enredo: “Salve Jorge! O guerreiro na fé”
Thème: « Sauve Jorge! Le guerrier dans la foi »

Auteurs: Édson Marinho, Adilson Alves, Jorge Xavier, André Félix, JB et Salviano

A pé eu vou
Empunhando a lança
Do santo guerreiro
Sou eu mais um filho de Jorge nesta legião
Herdeiro fiel, vou seguir na missão
Na Capadócia nasceu, o menino lutou
Enfrentou desatino do imperador
O ser amado admirado
Invencível defensor

Estou vestido com as armas de Jorge
Meus inimigos não vão me alcançar (bis)
Tu és bondade pelo mundo inteiro
Santo padroeiro igual não há

Rogar seus milagres em devoção
Fazer a criança virar um leão
Em proteção, orai ao glorioso pai
Mesmo da lua por nós olhai
Amanheceu a alvorada anuncia
Divina alteza senhor da cavalaria
Prepare o feijão, ê baiana, põe tempero
Dá no couro batuqueiro
Pra minha Estácio de Sá
Fazer da avenida seu altar

Sou teu fiel seguidor, meu cavaleiro
Por dia mato um dragão, sou brasileiro (bis)
Estácio veste seu manto carregado de axé
Salve Jorge, guerreiro na fé
Haut de la page

União da Ilha


Enredo: « Olímpico por natureza. Todo mundo se encontra no Rio! »
Thème:« Olympique par nature. Tout le monde se retrouve à Rio! »

Auteurs: Marquinhus do Banjo, Cap. Barreto, Miguel, Roger Linhares, Paulo Guimarães, Dr. Robson, Jamiro Faria e Gugu das Candongas

Vem, chega mais perto, sente o meu calor
Bem-vindo à Ilha do Governador
Braços abertos, vou te ver chegar
Os deuses, por Zeus abençoados
Pra terra onde o sol é mais dourado
É lindo o meu amanhecer
Águas… que vão me banhar, serenas…
Descendo ao encontro do mar
Vem nas minhas ondas mergulhar

Trilhar caminhos de rara beleza
No solo sagrado com a mãe natureza (bis)
Poder voar no azul infinito
Do alto sou ainda mais bonito

Ser carioca é tipo assim
Paixão, prazer, amor sem fim
Se misturar pela cidade
Compartilhar felicidade
Firma a batida na palma da mão
Os Jogos vão começar
Já somos todos irmãos
Os deuses querem ficar
E todo mundo cai no samba
Na ginga, no batuque e no compasso
Alô meu Rio, aquele abraço

Medalha de ouro a nossa União
Bordada nos louros do meu pavilhão
A minha alegria encanta você (bis)
Meu maior desejo é vencer ou vencer
Ilha… razão do meu viver
Haut de la page

Beija Flor


Enredo : « Mineirinho Genial! Nova Lima – Cidade Natal. Marquês de Sapucaí – O Poeta Imortal »
Thème : « Petit Mineiro génial! Nova Lima – ville natale. Marques de Sapucaí  – Le poète immortel »

Auteurs : Marcelo Guimarães, Sidney de Pilares, Manolo, Jorginho Moreira, Kirraizinho et Diogo Rosa

Abriu-se a cortina do tempo
Emoldurando a história a beija-flor ôôô
De Nova Lima à poesia se fez
Na genialidade do Marquês
Nasceu em Congonhas de Sabará
O mais puro ouro das Minas Gerais
Atravessou o mar, no afã de conquistar
Conhecimento em terras lusitanas
Brilhou aos olhos da lei
Formou-se bacharel
Fiel à nação, enfim regressou
A saudade apertou

Ecoou um brado de resistência
Ao longe se ouviu a voz da independência (bis)
Pelo Brasil, impera felicidade
Já raiou a liberdade

Um homem de real valor
Um vencedor na estrada da vida
Em seu legado a primazia
Na gratidão que herdaria
Poeta, músico, escritor
O mineirinho que o Rio imortalizou
Teu chão floresce a nobreza pro samba passar
Um templo sagrado a luz do luar
Apoteose de todo sambista
Artista! Herdeiro verdadeiro de Ciata
Que hoje te abraça aos pés da praça
Em mais um Carnaval

Sou Beija-Flor, na alegria ou na dor
A deusa da passarela, é ela!
Primeira na história do Marquês (bis)
Que na Sapucaí é soberana
De fato nilopolitana
Haut de la page

Grande Rio


Enredo: »Fui no Itororó beber água, não achei. Mas achei a bela Santos, e por ela me apaixonei… »
Thème: « Je suis allé au Itororó boire de l’eau, je n’ai pas trouvé. Mais j’ai trouvé la belle Santos et pour elle je me suis passionnée…     »

Auteurs : Márcio das Camisas, Mariano Araújo, Competência, Kaká et Dinho

(Nesse mar) nesse mar de alegria, quero ver me segurar
A Grande Rio mandou chamar
Vem pra ciranda ioiô, no Itororó vem iaiá
Beber na fonte que me faz apaixonar
Lindo cenário de amor, histórias pra se cantar
Santos, maravilha de lugar (vou contar)
De além-mar chega o colonizador
O mercado prosperou no vai e vem (vai e vem)
O cheiro doce que o vento trouxe encanta a Família Real
Nossa Senhora, livrai essa terra do mal
Veio gente de todo lugar pra somar
Liberdade, um grito ecoou ôôô
Nessa labuta tem aroma de café
É saboroso, todo mundo botou fé

Pode embarcar que o apito do bonde tocou (bis)
Pode embarcar que o progresso não pode parar

Vem mergulhar nessas ondas, sentir o prazer
Esporte é vida, lazer
Tá no gramado a paixão
Peixe, o orgulho da « vila »
Celeiro do eterno campeão
Ê! Menino bom de bola
No destino deu olé (olé, olé)
O atleta consagrado, majestade é nosso Rei Pelé
Cavalheiro da paz, magia
Na corte tem Neymar, ousadia e alegria

Pisa forte Grande Rio, é pura emoção
Santos conquistou meu coração ô (bis)
Desembarquei no porto da felicidade
Quanta beleza pra curtir nessa cidade
Haut de la page

Mocidade


Enredo: « O Brasil de La Mancha: Sou Miguel, Padre Miguel. Sou Cervantes, Sou Quixote Cavaleiro, Pixote Brasileiro »
Thème: « Le Brésil de la Mancha: Je suis Miguel, père Miguel. Je suis Cervantes, je suis Quichotte chevalier, Pichotte Brésilien »

Auteurs: Compositores: Wander Pires, Jefinho Rodrigues, Marquinho Índio, J. Medeiros, Domingos Pressão, Jonas Marques, Paulo Ferraz, Lauro Silva et Lero Pires

Louco, apaixonado…
Voar, sem limites sonhar…
Desperta Cervantes do sono infinito
Que a luz da estrela vai guiar
Quixote cavaleiro delirante
Avante! Moinhos vamos vencer
Errante acerta o rumo da história
Pras manchas desse quadro remover
Pintar nessa tela a nova aquarela
E hoje enfim devolver
A honra do negro, a tal liberdade
Que sempre haveria de ter

Ainda é tempo, eu vou contra o vento
Não há de faltar bravura (bis)
De Ramos à Rosa, meu dom encontrei
Nos braços da literatura!

Vai na fé… meu bom cangaceiro
« Ser tão » conselheiro regando as veredas
Caminhando e cantando uma nova canção
Nas mãos uma flor vai calar os canhões
Faz clarear as tenebrosas transações
Lavando a alma da « Mocidade »
Lançando « jatos » de felicidade
Vencer mais um gigante nessa história desleal
Numa ofegante epidemia que se chama Carnaval
Vem ser mais um guerreiro
Eu sou Miguel, Pixote escudeiro
É hora da estrela que sempre vai brilhar!

Eu hei de cantar por toda vida
Minha Mocidade, escola querida (bis)
Nessa disputa…
Verás que um filho teu não foge à luta! (não)
Haut de la page

Unidos da Tijuca


Enredo: « Semeando Sorriso, a Tijuca festeja o solo sagrado »
Thème: « En semant Sorriso, Tijuca célèbre la terre sacré  »

Auteurs : Dudu Nobre, Zé Paulo Sierra, Claudio Mattos e Gusttavo Clarão

Sou eu… Do barro esculpido pelas mãos do criador
Sou eu… Filho dessa terra germinando amor
São lágrimas que caem lá do céu
São raios desse sol em meu olhar
Ao ver a agricultura do brasil em meu Borel
Sagrada natureza a nos abençoar
Brota o suor que escorre na enxada
Ara, planta, colhe em devoção
E “ver de” perto a cria alimentada
Flores que aquarelam a região

Sou matuto sonhador em louvação
Lá no meu interior, a viola dá o tom
Vendo o campo colorido (bis)
Cai a noite a me envolver
Vou rogando ao pai querido
Pra colheita florescer

Vou levantando a poeira da terra
Que aterra a magia do grão
Fertilidade é a arte do homem que cuida
Protege seu chão
Um oásis de conhecimento
Pro país é um exemplo, a tal “capital”
O meu negócio é isso, seu moço
“Sorriso” no rosto
Por esse meu mundão rural
Semeia… a minha raiz
Clareia… um belo matiz
O dia vai raiar e o povo há de cantar feliz

Salve a mãe natureza, a luz da riqueza
O dono da terra, a inspiração (bis)
A Tijuca festeja, o solo sagrado em oração!
Haut de la page

Vila Isabel


Enredo: « Memórias de Pai Arraia – um sonho pernambucano, um legado brasileiro »
Thème: « Mémoire de père Arraia – un rêve pernambucain, un héritage brésilien »

Auteurs : Compositores: Martinho da Vila, André Diniz, Mart’nália, Arlindo Cruz et Leonel

Meus olhos ficavam rasos d’água
A seca minha alma castigava
O sol queimava e rachava o chão
Até os carcarás sofriam no sertão
Cresci, sonhando renovar os sonhos
Revitalizar a vida
Que se equilibra sobre palafita
Dar pra gente tão sofrida

Dignidade e amor (bis)

Acordei o campo pra haver justiça
Com o futuro santo, fé nos ideais
Despertei o povo para um novo dia
Brotou esperança nos canaviais
Com ternura me chamavam Pai Arraia
Onde os arrecifes desenham a praia
Um sentimento no coração, no pensamento, soluções reais
Liberdade se conquista com educação
Juntei os artistas e intelectuais

Pra fazer a cartilha no cordel
Ensinar, abraçar a profissão (bis)
Buscando na arte a inspiração

Tão bom cantarolar, me emocionar, estar aqui
Pra ver na avenida, meu valor na mensageira Vila
Gente aguerrida que defende a tradição do seu lugar
Um movimento de cultura popular

Vem dançar o frevo e a ciranda
Silenciar jamais (bis)
Tem maracatu na batucada
E o Galo da Madrugada misturando os carnavais
Haut de la page

Salgueiro


Enredo: « A Ópera dos malandros »
Thème: « L’Opéra des malandros »

Auteurs : Marcelo Motta, Fred Camacho, Guinga, Getúlio Coelho, Ricardo Fernandes et Francisco Aquino

Laroiê, mojuobá, axé!
Salve o povo de fé, me dê licença!
Eu vou pra rua que a lua me chamou
Refletida em meu chapéu
O rei da noite eu sou
Num palco sob as estrelas
De linho branco vou me apresentar
Malandro descendo a ladeira… ê, Zé!
Da ginga e do bicolor no pé
« Pra se viver do amor » pelas calçadas
Um mestre-sala das madrugadas

Ê, filho da sorte eu sou
Vento sopra a meu favor (bis)
Gira sorte, gira mundo, malandro deixa girar
Quem dá as cartas sou eu, pode apostar!

O samba vadio, meu povo a cantar
Dia a dia, bar em bar
Eis minha filosofia
Nos braços da boemia, me deixo levar…
Eu vou por becos e vielas
Chegou o barão das favelas
Quem me protege não dorme
Meu santo é forte, é quem me guia
Na luta de cada manhã, um mensageiro da paz
De larôs e saravás!

É que eu sou malandro, batuqueiro
Cria lá do morro do Salgueiro (bis)
Se não acredita, vem no meu samba pra ver
O couro vai comer !
Haut de la page

São Clemente


Enredo: « Mais de mil palhaços no salão »
Thème:« Plus de mille clowns dans le salon  »

Auteurs : Rodrigo Índio, Alexandre Araújo, Fabio Rossi, Vinícius Nagem, Amado Osman, Armando Daltro, Rodrigo Telles et Davi Costa

Que confusão, meu deus do céu!
Foi travessura dos diabos
O bobo irreverente do reino fez piada
A corte encantada aplaudiu
Na feira, em cena a arte
O céu de estrelas ilumina o chão
Espalha por todas as partes
Sorrisos pela multidão
Fascina meninos de qualquer idade
Suspense! O show começou!
Montado na felicidade, surge o palhaço!
O circo chegou!

Alô, alô! Alô criançada vai ter palhaçada
Quero ver você feliz… (bis)
Dou cambalhota, pirueta! Se chorar, faço careta
Bravo! A platéia pede bis!

Tá certo ou não tá? Eu vou gargalhar
Oh! Quanta alegria!
Divino dom do riso é carnaval
Na festa dos « reis da folia”
A cara branca, o pastelão!
Cara-pintada, voz de uma nação
Sou saltimbanco brasileiro, me equilibro o ano inteiro
Tem marmelada e « faz-me-rir »
Acorda! Esquece a tristeza e vem cantar
“Pelo telefone” mandaram avisar
O palhaço o que é?
É ladrão de mulher!
Mas tem samba no pé

O palhaço o que é? É doce ilusão
Sonho de criança, pura emoção (bis)
De preto e amarelo pintou meu amor!
Hoje tem São Clemente? Tem, sim senhor !
Haut de la page

Portela


Enredo: « No voo da águia, uma viagem sem fim… »
Thème: « Dans le vol de l’aigle, un voyage sans fin »

Auteurs : Samir Trindade, Wanderley Monteiro, Elson Ramires, Lopita 77, Dimenor et Edmar Jr.

Voar nas asas da poesia
Rasgar o céu da mitologia
E nessa odisséia viajar
Meus olhos vão te guiar, na travessia
E no meu destino sem fim
Cruzar o azul que é tudo pra mim
Enfrentar tormentas e continuar, a navegar
Oh leva eu me leva, aonde o vento soprar eu vou
Oh leva eu me leva, sou livre aonde sonhar eu vou
Quisera ir ao infinito
Sentir lugares tão bonitos
Em terras mais distantes me aventurar
Sem saber se um dia vou voltar

E mais além, no elo perdido cheguei (bis)
No vai e vem, a chave da vida encontrei

Vou pedir passagem em busca do ouro
O seu brilho me fascina
Quero esse mapa da mina, pra achar tesouros
Abre a janela, pro mundo que Paulo criou
Do outro lado, alguém pode ver esse amor
Meus filhos vem me adorar
O samba reverenciar
Abram alas, vou me apresentar

Eu sou a Águia, fale de mim quem quiser
Mas é melhor respeitar, sou a Portela (bis)
Nessa viagem, mais uma estrela
Que vai brilhar no pavilhão de Madureira
Haut de la page

Imperatriz


Enredo: « É o amor que mexe com a minha cabeça e me deixa assim. Do sonho de um caipira nascem os filhos do Brasil » »
Thème: »C’est un amour qui touche mon esprit et me laisse comme ça. Du rêve d’un caipira sont nés les fils du Brésil »

Auteurs : Zé Katimba, Adriano Ganso, Jorge do Finge, Moisés Santiago et Aldir Senna

Chora cavaco, ponteia viola
Pega a sanfona, meu irmão, chegou a hora (bis)
Sou brasileiro, caipira pirapora

Sagrada lida, vida sertaneja
Guardo as lembranças lá do meu torrão
O galo canta anuncia o novo dia
Abre a porteira do meu coração
Minhas andanças marejadas de saudade
Semeiam sonhos… felicidade
Ouvir a orquestra espantar, vibrar numa só voz
Dançar ao vento… os girassóis
No amanhã hei de colher, o que hoje for plantar
Visão que o tempo não desfaz
Dourada serra que reluz no meu Goiás
Minha terra…
Sou o som do serrado brejeiro
Onde a lua inocente vagueia
Berrante, peão, vaquejada
Tocando a boiada
A estrela que clareia
Sou matuta, ribeira, caipira
Não desgoste de mim quem não viu… Ô
Paixão derramada na rima
O encanto da menina
Um pedaço feliz do Brasil
Festa… tem cavalhada e romaria
Risos… os mascarados vêm brincar
Na fé que une e faz o povo acreditar
Que um grande sonho pode se alcançar
A esperança do pai… brilhou
Nos filhos que o Brasil… consagrou
Talento e arte, vitória e superação
Que um anjo caipira abençoou
Se toda história tem início, meio e fim
A nossa começou assim
É o amor…
A receita da alegria
Sentimento e magia
A razão do meu cantar
É o amor…
Minha escola na avenida
A paixão da minha vida
Verde é minha raiz
Imperatriz
Haut de la page

 

Mangueira


Enredo: « Maria Bethânia: A Menina dos Olhos de Oyá »
Thème: « Maria Bethânia: La petite fille aux yeux de Oyá »

Auteurs : Alemão do Cavaco, Almyr, Cadu, Lacyr da Mangueira, Paulinho Bandolim et Renan Brandão

Raiou… Senhora mãe da tempestade
A sua força me invade, o vento sopra e anuncia
Oyá… Entrego a ti a minha fé
O abebé reluz axé
Fiz um pedido pro Bonfim abençoar
Oxalá, Xeu Êpa Babá!
Oh, Minha Santa, me proteja, me alumia
Trago no peito o Rosário de Maria
Sinto o perfume… Mel, pitanga e dendê
No embalo do xirê, começou a cantoria

Vou no toque do tambor… ôôô
Deixo o samba me levar… Saravá! (bis)
É no dengo da baiana, meu sinhô
Que a Mangueira vai passar

Voa, carcará! Leva meu dom ao Teatro Opinião
Faz da minha voz um retrato desse chão
Sonhei que nessa noite de magia
Em cena, encarno toda poesia
Sou abelha rainha, fera ferida, bordadeira da canção
De pé descalço, puxo o verso e abro a roda
Firmo na palma, no pandeiro e na viola
Sou trapezista num céu de lona verde e rosa
Que hoje brinca de viver a emoção
Explode coração

Quem me chamou… Mangueira
Chegou a hora, não dá mais pra segurar
Quem me chamou… Chamou pra sambar (bis)
Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá
Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá

Haut de la page

Laisser une réponse

Votre adresse email ne sera pas publiéeLes champs requis sont surlignés *

*