Thème de Mangueira pour le carnaval de Rio 2010

Mangueira 2010 Avec comme président Ivo Meirelles, Mangueira arrive cette année avec un « enredo » (thème) à l’image du brésil :
« Mangueira é música do Brasil » comprenez littéralement « Mangueira est la musique du brésil »

Créé par la carnavalesque Márcia Lage, elle explique :  » La musique brésilienne est notre reflet dans le miroir, notre identité, notre « tête » « La combinaison original de rythme et de mélodie est notre marque de fabrique et un motif d’orgueil pour nous tous ».

Sur un pareil thème, Mangueira a de quoi développer un carnaval fantastique. Avec tous les styles de musique maitrisé par le brésil ainsi que tous ses compositeurs, elle devrait s’en donner à cœur joie.
Voici la synopsis complète du carnaval de Mangueira 2010 ( en portuguais):

A música brasileira é nosso reflexo no espelho, nossa identidade, nossa cara!

Rica, genuína, forte e feliz nos projeta no mundo de forma afirmativa já que a combinação original entre melodia e ritmo é a nossa marca. Motivo de orgulho para todos nós.

A Estação Primeira de Mangueira mergulha de cabeça nesse caldeirão cultural, pois, por tradição, a música brasileira sempre esteve presente em nossos carnavais. Daqui ela se irradia por intermédio de nossos compositores consagrados, luz para muitas canções que se aninharam nos corações de muitos, o que faz da Mangueira, também, referência da música que se faz no Brasil.

A Mangueira sempre soube acolher as mais diversas manifestações da música brasileira. Por aqui transitaram e ainda transitam artistas das mais diferentes vertentes e diferentes tribos.

E a recíproca é verdadeira porque muitos deles também souberam enaltecê-la em canções de exaltação engrandecendo ainda mais a nossa história.

Nessa troca musical, outros foram pela Mangueira homenageados com sambas-enredos, imortalizados em desfiles inesquecíveis, como: Braguinha, Dorival Caymmi e Chico Buarque.

A Mangueira é sim, Música do Brasil!

Nossa pauta musical será composta por diversos gêneros musicais que expressam nossa vocação pela mistura, pela criatividade e pela renovação, tornando sempre vivas as vozes que se multiplicam por todos os cantos do país.

A Música Brasileira hoje está em todas as emissoras de rádio e quem não a colocar na programação perde, de fato, audiência.

A influência estrangeira sempre esteve presente em nossa música, porém reprocessada e misturada com originalidade, resultando em canções maravilhosas, que o mundo aprendeu a apreciar e admirar por sua alta qualidade.

O Brasil ganhava contorno de unidade nacional através das emissoras de rádio, irradiava música para todo o país.

Através das ondas médias, a nossa música « estourou no norte » com baiões, sambas, marchinhas, boleros e toadas que se abrigavam no imaginário popular e davam vazão aos sentimentos. Nuances que nossa música continua a exprimir.

A música se desloca para a praia, com acordes dissonantes e influências jazzísticas e de um jeito mais intimista surge então a bossa nova. Um jeito diferente de cantar o samba, garantindo a mudança que a música procurava e levando seu alcance para além das fronteiras do Brasil.

Nossa música ganha o mundo!

A Mangueira segue sua viagem no tempo e cruza com a Jovem Guarda. De estilo mais romântico, mais ingênuo, revelava um país que abruptamente mudava. Nessa mesma época surgia o Tropicalismo passando o Brasil a limpo e assumindo as nossas diferentes nuances de ser: nuances de erudita, brega, sofisticada com muita criatividade, sendo a alegria a prova dos nove na Geléia Geral Brasileira.

Somos pais genuínos da improvisação, da beleza pura!

E mesmo sob os sombrios anos de ditadura, nossa música soube driblar os rigores da censura de forma criativa, afirmando cada vez mais seu papel de porta-voz da liberdade democrática. Os festivais de música revelam novos talentos e multiplicam-se os gêneros de norte a sul, fundindo-se e aumentando nosso espectro musical com outras mensagens, outros códigos. Nossos ouvidos se abrem para outras paisagens musicais e a música brasileira ganha definitivamente uma nova sigla: MPB.

Brasil mostra sua cara!

E a cada década vai se reciclando ao som das guitarras, das baladas, relendo o rock, agora tomado como nosso: exagerado, romântico, ingênuo e divertido, assim como o funk, originários dos guetos,também atingem todas as classes sociais.

O samba das Escolas de Samba do Rio de Janeiro é um capítulo à parte nessa história da música do Brasil. O samba traz o mundo para cá. E a Estação Primeira de Mangueira é a expressão máxima desse gênero. Dessa verdadeira Escola de bambas ouvimos canções de Cartola, Nelson Cavaquinho, Nelson Sargento, Padeirinho e Hélio Turco, entre outros?

A voz do Rei da Sapucaí, Jamelão, ainda ecoa em nossos ouvidos? São tantos os artistas que em suas músicas respiram a Mangueira: Alcione, Beth Carvalho, Leci Brandão, Rosemary, Emilio Santiago e tantos outros, que não daria para dissociá-los de sua história e trajetória.

Nesse carnaval o palco é a Passarela do samba e a Mangueira é MÚSICA DO BRASIL!

É Show…

Quitter la version mobile